separador topo
Cultura
Skip Navigation Links.
print

João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett

Aqui pode encontrar uma breve cronologia sobre Almeida Garrett, que é parte integrante do folheto "almeida garrett: vida e obra":

1799 – Nascimento no Porto (família burguesa, abastada e tradicionalista).

1809 – Parte para a ilha Terceira por causa da 2ª invasão francesa. Aí recebe de um tio, bispo de Angra do Heroísmo( D. Frei Alexandre da Sagrada Família), uma educação religiosa e clássica.

1816 – Matricula-se no curso de Direito em Coimbra. Adere às ideias liberais e começa a escrever algumas peças de teatro.

1820 – Escreve a tragédia Catão, representada em Lisboa no ano seguinte.  

1821 – Já formado, casa com Luísa Midosi e publica o Retrato de Vénus, que lhe valeu um processo judicial e um julgamento de que foi absolvido.

1823 – Com a Vila-Francada, exila-se em Inglaterra, onde contata com a literatura romântica (Byron e Walter Scott).

1824 – Parte para o Havre, em França, como correspondente.

1825 – Publica em Paris Camões.

1826/27 – Publica ainda em Paris D. Branca. Regressa a Portugal após a outorga da Carta Constitucional, dedicando-se ao jornalismo político; prisão no limoeiro por processo movido a O Português.

1828 – Exila-se de novo em Inglaterra devido à aclamação de D. Miguel.

1830 – Inicia a compilação do Romanceiro.

1832 – Integra-se no exército liberal de D. Pedro IV, desembarca no Mindelo e participa no cerco do Porto, escrevendo aí a primeira parte do Arco de Santana. Colabora em vários jornais.

1834 – Após a guerra civil, Almeida Garrett é nomeado cônsul geral em Bruxelas. Estuda a língua e a literatura alemãs (Herder, Schiller e Goethe).

1836 – Regressa a Portugal e separa-se de Luísa Midosi, que em Bruxelas o teria traído. Passos Manuel encarrega-o de reorganizar o teatro nacional, nomeando-o inspetor dos teatros. Dirige O Português Constitucional.

1837/1838 – Perde o cargo de inspetor dos teatros por demissão de Passos Manuel. Apaixona-se por Adelaide Deville, que morrerá em 1841 e de quem terá uma filha, Maria Adelaide. Inicia a carreira parlamentar (defende posições políticas moderadas e acusa o sectarismo partidário). Funda e é redactor principal de O Entreacto, jornal de teatros. Publica Um Auto de Gil Vicente.

1841 – Publica O Alfageme de Santarém.

1842 – Costa Cabral instaura um governo de ditadura, contra o qual Garrett luta na oposição parlamentar. Publica O Alfageme de Santarém.

1843 – Escreve o drama Frei Luís de Sousa que será publicado no ano seguinte. Começa também a escrever o romance Viagens na Minha Terra, que publica em folhetins na Revista Universal Lisbonense. 1845 – Publica o romance Arco de Santana e a colectânea de poemas Flores sem Fruto. Inicia-se a paixão por Rosa Montufar, a Viscondessa da Luz.

1846 – É publicado em dois volumes o romance Viagens na Minha Terra.

1847 – Publica O noivado no Dafundo 

1850 – É representado no Teatro Nacional o drama Frei Luís de Sousa. Publica A Sobrinha do Marquês.

1851 – É nomeado ministro dos Negócios Estrangeiros (e pouco após demitido do lugar) e recebe o título de Visconde e Par do Reino. Conclui a compilação do Romanceiro.

1853 – Publica Folhas Caídas, coletânea poética que causou escândalo na época. Inicia a composição de Helena, romance que deixa inacabado.

1854 – Trabalha na comédia O Conde de Novion, em que Gomes de Amorim colabora. Morre a 9 de Dezembro em Lisboa.


print
separador footer
 
Optimizado para os browsers: Internet Explorer 7, Firefox 3.5 e Safari 5 ou superiores | Em desenvolvimento pela DMSI (Direcção Municipal de Sistemas de Informação) da CMP
Projecto co-financiado por: