separador topo
Cultura
Skip Navigation Links.
print

Edifício

A história do antigo Convento de Santo António da Cidade remonta a 1747 e está associada, após 1833, à Real Biblioteca Pública do Porto, actualmente Biblioteca Pública Municipal do Porto (BPMP), definitivamente instalada no edifício desde 1842. Nas primeiras décadas do séc. XX também aqui estiveram sedeadas, ocupando algumas áreas e dependências, a Escola de Belas Artes e o Museu Municipal.

Do antigo convento resta o edifício (a igreja foi demolida) que se desenvolve em função do claustro que, abrindo-se para o pátio ao ar livre com um chafariz ao centro, funciona como elemento que aglutina e articula os corpos do edifício. A fachada principal apresenta três andares, com vãos diferenciados mas simétricos, a que correspondem, no telhado, pequenas trapeiras. O interior do edifício tem sido ao longo dos anos objeto de obras e remodelações profundas com o objetivo de adaptação às várias funções e necessidades de uma unidade documental com as caraterísticas da Biblioteca Pública Municipal do Porto.

Na entrada do edifício da Biblioteca Pública encontram-se aplicados azulejos provenientes de casas religiosas, destacando-se um painel da segunda metade do século XVIII, proveniente do Convento de São Bartolomeu de Coimbra, outros dois, da mesma época, do refeitório do Mosteiro de São Bento da Vitória e ainda do Convento de Santa Clara do Porto e do Mosteiro de São Bento de Avé-Maria. As paredes do claustro encontram-se igualmente pontuadas por diversos painéis de azulejos, situados cronologicamente entre os sécs. XV e XVIII, provenientes de conventos e mosteiros da cidade e da região.

As sondagens arqueológicas, efetuadas no âmbito do projeto de ampliação e expansão da Biblioteca (numa área que se desenvolve pelo quarteirão delimitado pelas Ruas de Morgado de Mateus, Visconde de Bóbeda, D. João IV e Avenida Rodrigues de Freitas), detetaram vários momentos e vestígios de ocupação de cronologia moderna e contemporânea, com ênfase para um cemitério oitocentista e para um ramal do aqueduto de Mijavelhas, atual Estação de Metro do Campo 24 de Agosto.

O edifício está classificado, desde 1974, como imóvel de interesse público, podendo ser acedidas e consultadas no Sistema de Informação do IGESPAR as correspondentes ficha e fotografias.


print
separador footer
 
Optimizado para os browsers: Internet Explorer 7, Firefox 3.5 e Safari 5 ou superiores | Em desenvolvimento pela DMSI (Direcção Municipal de Sistemas de Informação) da CMP
Projecto co-financiado por: