separador topo
Cultura
Skip Navigation Links.
print

História data-a-data

1724, 02 de Junho – Pedro Pacheco Pereira compra a Nicolau do Couto a Quinta do Passadiço ou da Macieirinha.

1756, 30 de Junho – Pedro Pacheco Pereira, Fidalgo da Casa Real e Juiz da Alfândega do Porto, celebra com Adam Standert e sua mulher Catharina Standert uma Escriptura de censo perpectuo da quinta do Passadiço ou Macieirnha.

1762 – Manuel de Sousa de Carvalho é proprietário da Quinta, composta por casas orta e pomares, que tem arrendada

1764 – Manuel de Sousa de Carvalho arrenda a Quinta a Diogo But.

1780 – Manuel de Sousa de Carvalho arrenda a Quinta a Diogo Wood.

1781, 13 de Março – Manuel de Sousa de Carvalho e sua mulher Maria Thereza Angélica fazem doação e dote para património do Sagrado Lausperene à Confraria do Santíssimo Sacremento e Senhor Jesus de Santo Ildefonso.

1782, 03 de Junho – morre Manuel de Sousa de Carvalho, morador na Rua de fronte da capella do Calvário novo da Cordoaria nova desta cidade do Porto […] com todos os sacramentos […] fez testamento e ficou seu testamenteiro seu sobrinho o Doutor Manoel Fructuoso Pereira.

1783 – a Quinta da Macieira anda arrendada a Carlos Page.

Século XIX (1.ª metade) – a Quinta da Macieira é comprada por António Pinto Basto.

1849, 27 de Abril – instala-se na Quinta da Macieirnha, o exilado Carlos Alberto de Sabóia, ex-Príncipe de Piemonte e ex-Rei da Sardenha.

1849, 28 de Julho – morre na Quinta da Macieirnha Carlos Alberto de Sabóia.

1967 – a Câmara Municipal do Porto delibera organizar na Quinta da Macieirinha um Museu de recordações do século XIX, para nele serem lembrados os grandes nomes do romantismo portuense.

1972, 27 de Julho – inauguração do Museu Romântico da Quinta da Macieirinha.


print
separador footer
 
Optimizado para os browsers: Internet Explorer 7, Firefox 3.5 e Safari 5 ou superiores | Em desenvolvimento pela DMSI (Direcção Municipal de Sistemas de Informação) da CMP
Projecto co-financiado por: