separador topo
Cultura
Skip Navigation Links.
print

O processo

O Século XX, principalmente nas décadas de 40 e 50, trouxe diversos planos urbanísticos que alterariam irreversivelmente o Centro Histórico do Porto, caso tivessem sido implementados. No entanto, apesar da degradação a que estava votado, houve quem contrariasse a política vigente e defendesse a reabilitação, como o arquiteto Fernando Távora.

A partir de 1974, o Centro Histórico passa a ser visto como um valor patrimonial local e nacional, pelo que o Governo criou o CRUARB (Comissariado para a Renovação Urbana da Área da Ribeira/Barredo) para resolver o problema do realojamento, recuperando os quarteirões mais degradados.

Em consequência da Lei das Finanças Locais de 1982, a Câmara Municipal do Porto assume a responsabilidade pelos trabalhos do CRUARB, estendendo o seu âmbito de ação à Zona Histórica do Porto.

Em 1993, é publicada a primeira edição do “Porto a Património Mundial”, considerado o início do processo de candidatura da cidade do Porto à Lista de Património Cultural da Humanidade da UNESCO.

 


print
separador footer
 
Optimizado para os browsers: Internet Explorer 7, Firefox 3.5 e Safari 5 ou superiores | Em desenvolvimento pela DMSI (Direcção Municipal de Sistemas de Informação) da CMP
Projecto co-financiado por: